Ripple paga pessoas para usarem suas criptomoedas

Em 2013, a empresa de criptomoedas Ripple, sediada em San Francisco (EUA), lançou sua própria moeda: a XRP. Hoje, ela é a terceira moeda digital mais popular em termos de capitalização de mercado (a participação de um ativo no mercado total de criptografia), ficando atrás apenas do bitcoin e Ethereum.

Mas Ripple tem um problema, de acordo com um relatório do The New York Times: enquanto as pessoas trocam XRP, elas não o usam de forma efetiva.

Por uso, a empresa quer dizer mais do que comprar ou vender como investimentos especulativos. Como não se pode usar exatamente a criptografia em sua mercearia de bairro ainda, a Ripple está focada principalmente em fazer com que as pessoas usem sua moeda para realizar transferências internacionais de dinheiro.

Por exemplo: se tivermos US$ 2.000 que devemos enviar para o meu amigo em Londres, converteremos então dólares para XRP, enviaria para meu amigo no Reino Unido, que então converteria para Euros (ou qualquer moeda que eles quisessem). A Ripple já fez parcerias com bancos e outras instituições financeiras para fazer isso acontecer.

Uma maneira de levar as pessoas a usar uma moeda? Certifique-se de que eles tenham muito disso. E o Ripple está garantindo que as pessoas tenham muito XRP dando isso. Em março, a Ripple doou US $ 29 milhões em XRP para uma instituição de caridade para comprar materiais de sala de aula para as escolas dos EUA.

A Ripple não está apenas doando XRP para instituições de caridade, no entanto. Também está pagando as pessoas que usam XRP. Em outubro de 2017, a empresa colocou 300 milhões de dólares americanos em XRP no programa RippleNet Accelerator, um programa projetado para recompensar instituições financeiras que usam XRP. Então, em maio, a Ripple criou o Xpring, uma iniciativa que ajuda a financiar o desenvolvimento de start-ups focados em XRP.

FONTE

Lucas

Lucas Autor

Estudante de Letras (Português - Alemão) da Universidade de São Paulo. Diz que entende de cinema e espera escrever um livro, mas só espera mesmo.

Comentários