Novo projeto de Bitcoin movido a energia solar

Novos projetos de bitcoins e implementação da tecnologia blockchain têm chamado a atenção de diversos investidores. Estes empreendedores são surpreendidos por diversas ideias que têm como objetivo melhorar a vida cotidiana da humanidade.

Agora, surgiu uma novidade com a mais popular das moedas digitais que pretende utilizar energia solar!

William Shatner, o homem por trás do Capitão Kirk no programa de TV “Jornada nas Estrelas – Star Trek” dos anos 60, juntou-se à crescente multidão de celebridades que expressam sua admiração pelas criptomoedas. Além disso, já destacou publicamente a função peer-to-peer e poder descentralizado do Bitcoin.

Recentemente, Shatner se associou à Solar Alliance (TSR -V: SOLR), de Vancouver, para desenvolver um empreendimento com energia alternativa.

Bitcoin com energia solar?

A Solar Alliance anunciou que seu mais recente projeto será instalado em uma fábrica abandonada, no sul de Illinois. Trata-se da construção de uma operação para minerar Bitcoins, mas movida a energia solar.

Como a mineração não ocorre fisicamente (são procedimentos computadorizados), a energia será aproveitada para os computadores que fazem os cálculos e descifram as criptografias. Foi informado também que os espaços disponíveis na empreitada poderão ser alugados por empresas.

Também foi revelado que a empresa está se unindo a outras como NastyMining e a HydroMiner para enfrentar a competitiva e nova indústria de mineração de bitcoins com energia renovável.

A NastyMining usa energia solar e eólica no Arizona para minerar. No entanto, a HydroMiner foi criada por duas irmãs na Áustria que utilizam a energia hidrelétrica.

Shatner não é a primeira celebridade a ficar a frente da tecnologia Bitcoin e blockchain. Em 2013, o ator Ashton Kutcher (“The Ranch”, da Netflix) falou muito bem de “tecnologia descentralizada”. Donald Glover (“Han Solo: Uma História Star Wars”) expressou sua admiração pelo Bitcoin em uma entrevista de 2013 com a Time. Jamie Foxx (“Ray”) tuitou sobre Cobinhood, exchange internacional.

O empreendimento da Solar Alliance espera que os locatários de mineração estejam alinhados para seu espaço em Illinois até o final de 2018. Uma parte do espaço será reservada para treinamento em instalação de painéis solares. Segundo o CEO, Jason Bak, empresas de serviços públicos que utilizam energia renovável serão economicamente beneficiadas, pois há grande consumo de energia e proporcionalmente despesas exigidas pela mineração caso optassem pela convencional elétrica.

A mineração de Bitcoin é um processo competitivo em que os computadores, ou “mineradores”, em todo o mundo tentam resolver um cálculo matemático. O quebra-cabeça envolve transações sendo adicionadas ao blockchain a cada dez minutos. A partir de 2018, mineiros que resolvem o quebra-cabeça recebem 12,5 bitcoins, ou cerca de US $ 80.000 (14 de junho).

No entanto, o trabalho pode ser caro, pois sistemas de computador mais complexos têm uma chance melhor de resolver o quebra-cabeça primeiro. Também pode ser, como muitos críticos apontaram, não muito amigável ao meio ambiente, já que mais computadores competindo pelo prêmio significam mais eletricidade usada.

William Shatner e o projeto de mineração movido a energia solar da Solar Alliance pretendem mudar isso.

FONTE

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.
Beatriz Flor

Beatriz Flor Autor

Comentários