Nestlé e Carrefour se unem em parceria para utilizar plataforma blockchain da IBM

A gigante de alimentos suíça Nestlé e o varejista francês Carrefour agora permitirão que seus consumidores acessem os dados dos produtos através da plataforma blockchain Food Trust da IBM.

As duas empresas anunciaram na segunda-feira que os clientes podem rastrear a linha Mousline de purê instantâneo da fábrica da Nestlé até as lojas do Carrefour, escaneando um código QR na embalagem com um smartphone.

O serviço fornece algumas das principais informações sobre o produto, como a data de produção e controle de qualidade, e também os tempos de armazenamento e os locais dos depósitos.

Além disso, os consumidores poderão encontrar informações sobre os agricultores que fornecem as batatas para o produto e como o purê é feito.

De acordo com o anúncio realizado, esta é a primeira vez que a Nestlé usa uma plataforma blockchain para disponibilizar informações sobre seus produtos para os clientes.

Em nota à imprensa, o vice-presidente sênior da Nestlé e também chefe global da cadeia de fornecimento, Vineet Khanna, afirmou o seguinte:

“Estamos usando a tecnologia da plataforma blockchain disponibilizada pela IBM para trazer mais transparência aos nossos produtos, fornecendo informações precisas, confiáveis ​​e imutáveis. Isso beneficiará toda a cadeia de valor, incluindo varejistas e consumidores.”

Plataforma blockchain ainda está em testes

Este novo serviço passará por um período de testes de alguns meses, apenas com o produto Mousline. O esforço será para que a empresa consiga “entender o impacto e a escalabilidade da tecnologia, além de ajudar em decisões sobre novos desenvolvimentos com a plataforma blockchain”, disseram ambas as empresas envolvidas, Nestlé e Carrefour.

A Nestlé está de olho no uso da tecnologia blockchain desde 2017, quando se uniu à IBM Food Trust como membro fundador. O Carrefour entrou na plataforma em outubro de 2018.

O diretor do programa blockchain do Carrefour, Emmanuel Delerm, informou na época que a empresa trabalhou em sua própria blockchain por mais de um ano, usando equipes próprias de engenheiros, antes de mudar para a plataforma da IBM.

Fonte:
Coindesk

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.

Leia Também