O que é mineração clandestina e como preveni-la

O que é mineração clandestina e como preveni-la

Como o Portal do Blockchain já discorreu em alguns textos, a mineração é uma atividade constante no mercado das criptomoedas. E com a evolução desse mercado financeiro, já está crescendo o número de mineração clandestina, na qual criminosos infestam diversas máquinas com softwares e as transformando em mineradores escravos.

Nisso, estão economizando em energia e gasto, fazendo terceiros trabalharem por eles. Tudo no silêncio e na anonimidade. E uma criptomoeda que está sofrendo com isso é a Monero.

Conhecida por seu alto poder de privacidade, sua segurança pode estar facilitando o trabalho dos criminosos.

Descentralizada, a Monero atua no mercado há quatro anos e se diferencia das outras por manter seus registros de forma pública. Ou seja, todo o valor que você adquire e como você o gasta não é divulgado. Ela foi criada por um usuário do fórum Bitcointalk e vem sendo cuidada por uma equipe de confiança da comunidade.

Nisso, a Monero também se diferencia na mineração. Ela pode ser minerada por qualquer minerador com um potencial significativo, ou seja, ela não requer processos complexos e especializados.

O uso dos botnets

Sendo uma rede de aparelhos ligados na internet, cada um dos computadores roda e “conversa” com outros aparelhos. O bot pode ser classificado como um dispositivo infectado, com o objetivo de cumprir tarefas de forma automática.

No caso, a mineração clandestina funciona através dessa estratégia. Os botnets se aproveitam dos recursos de terceiros para realizar uma atividade específica e sem se pronunciar. E por mais que a ideia estava na teoria, atualmente, já é muito utilizada, provocando ataques de malwares mineradores.

Como identificar mineração clandestina

Por mais furtivos que sejam, os bots acabam deixando vestígios quando estão agindo em um aparelho infectado. Portanto, qualquer mudança fora do padrão é perceptível.

Alguns dos sinais comuns são o uso elevado da CPU, demora de início e desligamento, lentidão nos programas e bloqueio nas atualizações dos antivírus.

No caso da CPU, é possível perceber de diversas maneiras. Caso seu processador esteja sendo usado fora do normal, a ventoinha fará um barulho ainda mais alto, por estar sendo mais utilizada. Outra maneira é observar também no gerenciador de tarefas do seu sistema, para ver se está elevado ou não.

Com a falta de disponibilidade de recursos da CPU, como memória, por exemplo, pode provocar lentidão em seus programas. Ou até atitudes inesperadas. Isso pode provocar também um acesso debilitado a sua internet, já que, para se comunicarem com a central, precisam utiliza-la. Com o uso excessivo, a internet passa a não funcionar direito, deixando-a mais lenta.

E para agir de má fé, eles precisam bloquear quem os impede. Por isso, seus sistemas de antivírus podem ser afetados, causando bloqueios, atualizações suspensas ou configurações estranhas.

A forma de agir também anda encontrando novos métodos. Tanto que alguns sites chegaram a executar códigos que estavam utilizando recursos dos computadores dos usuários que o acessava. Então, fique atento no uso do seu processador quando acessar um site novo, pois pode ter um código minerador por trás.

Mas, como alguns malwares são mais avançados, é bom ter uma atenção dobrada. Alguns dos sintomas estão ligados a tráfego por IRC (Internet Relay Chat) e elevações estranhas no tráfego de rede, por exemplo.

Como prevenir 

Para evitar este tipo de ataque, existem algumas dicas.

  • É sempre bom manter seus softwares e firewall atualizados.
  • Não aceite downloads que você mesmo não tenha iniciado.
  • Para não provocar uma infiltração no seu sistema, não clique em links suspeitos, seja em sites ou redes sociais.
  • Procure ter um antivírus de alta qualidade e sempre atualizado.
  • Existem extensões da Google para detectar e bloquear códigos mineradores.

Mesmo que suas ações não funcionem para impedir a mineração clandestina, ainda assim, é preciso lutar contra. No caso, enfrentar uma botnet é parecido com malwares, então é necessário entender o local de “invasão” no sistema e como ele opera. Assim, é bom escanear seu computador com programas atualizados de antimalware.

Como os botnets precisam se comunicar com o sistema, é bom também cortar essa ligação entre eles.

Mas para realizar esse tipo de defesa, é necessário um conhecimento especializado do sistema. Então, procure um profissional técnico caso seu conhecimento não seja tão aprofundado. Pois agir sozinho pode provocar ainda mais problemas no seu sistema.

FONTES

Fonte1

Fonte2

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.

Comentários