O quê causou o Hard Fork capaz de dividir o Bitcoin Cash?

Você sabe o que é um Hard Fork? Este termo que ficou recentemente conhecido por ser a função capaz dividir o Bitcoin Caish ainda é um pouco misterioso para muitos investidores.

Neste artigo nós vamos falar um pouco sobre o seu significado e também tentar entender o quê basicamente aconteceu para que o BTC sofresse um hard fork e acabasse por se tornar duas criptomoedas.

O que é o Hard Fork?

Lá em 2009, no ano em que o Bitcoin começou a se popularizar, pessoas já debatiam em fóruns sobre o grave problema da escalabilidade.

Na teoria, os blocos de dados existentes na época não teriam espaço suficiente para uma possível popularização em massa da criptomoeda. Seu armazenamento contava com apenas 1mb disponível para que as transações fossem registradas até a criação do próximo bloco, e isso precisava ser alterado.

Anos depois deste debate surgir, em 2017, a teoria comprovou ser verdadeira. O Bitcoin alcançou uma grande parcela de pessoas que utilizavam seu sistema e as transações passaram a levar dias para que fossem registradas. Resultando numa espécia de burocracia onde as maiores movimentações eram gravadas primeiro.

Na falta de um consenso geral para que este problema fosse resolvido, um grupo de investidores dividiu o código do bitcoin e se separou da sua rede, criando o Bitcoin Cash.

Essa divisão foi chamada de Hard Fork. Rapidamente o Bitcoin Cash chegou à faixa de 500 dólares e se manteve como uma das principais moedas digitais no mercado.

O quê causou o Hard Fork capaz de dividir o Bitcoin Cash?

Já em 2018, portanto um ano após a grande divisão de águas, o novo grupo de investidores passou a se desentender quando uma atualização do blockchain foi anunciada para o dia 15 de Novembro, ela dizia mais ou menos o seguinte:

“Será adicionado um novo código de operação chamado OP_CHECKDATASIG que melhora a linguagem de script BCH para permitir a validação de mensagens de fora do blockchain.

A introdução de ordenação de transações canônicas.

Várias pequenas correções técnicas e melhorias.”

Basicamente, a informação era de que o bitcoin cash passaria a atuar no ramo de contratos inteligentes, criando dois objetivos muito claros: Administrar transações não monetárias e uma nova forma de organização canônica, que substituiria a ordem topológica da cadeia de dados.

Isso acabou por deixar um monte de gente descontente, entre eles estavam os que não concordavam com a adição de registros para operações que não movimentariam diretamente a criptomoeda e também os que discordavam da nova forma de organização.

Entre eles estava Craig Wright, um homem que ganhou certo destaque após afirmar ser o verdadeiro nome por trás de Satoshi Nakamoto, o criador do bitcoin.

Após permanecer contra as mudanças do BCH ABC e insistir que elas não deveriam ser aplicadas, Wright conseguiu provocar barulho o suficiente. A nChain então lançou o Bitcoin Satoshi, conhecido como BSV.

Nesse momento uma disputa entre os dois grupos começou e eles iniciaram uma guerra para ver com quem ficaria o código do fork inicial, que havia separado o bitcoin cash do bitcoin. Ambos os lados então começaram a minerar o máximo que podiam das criptomoedas, à fim de criar um rastro maior e garantir maioridade contra o rival.

Poucos dias após o 15 de novembro esta estratégia se mostrou um fracasso, todos saíram prejudicados e alguns relatórios apontam que cerca de 12 milhões de dólares foram jogados no lixo para sustentar operações fadadas ao fracasso, já que o bitcoin cash original estava despencando.

Com o passar dos dias o grupo responsável pelo ABC começou a ganhar um pouco mais de destaque nessa corrida quando adotou o aumento do hash, ampliando o espaço para cada bloco de dados, ficando mais atrativa aos investidores em relação ao SV.

Logo as grandes exchanges passaram a considerar o grupo ABC como o detentor do nome Bitcoin Cash, mas ainda havia uma grande barreira a ser ultrapassada:

Em meio à essa briga para escolher a melhor plataforma, não houve um bloqueio anti-replay para as transações, então os valores que inicialmente estavam investidos em uma unica criptomoeda, poderiam ser utilizados duas vezes nas criptomoedas remanescentes.

Só quando isso foi resolvido que os investidores puderam de fato escolher um lado, forçando as exchanges a adotarem os dois grupos dessa história.

Mesmo com essa briga encerrada por enquanto, agora os investidores estão apreensivos, já que novas atualizações estão agendadas para 2019 e um novo capítulo dessa novela pode ser escrito.

Fonte:
Bitcoinist

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.
Igor Seco

Igor Seco Autor

Comentários