Facebook revela sua nova criptomoeda Libra: Uma substituta para o Bitcoin?

Após meses de especulação, o Facebook finalmente revelou o projeto no qual estava trabalhando com tanto empenho, sua nova criptomoeda chamada Libra.

Criptomoeda do Facebook irá substituir o Bitcoin?

Aqui no Portal do Blockchain nós já havíamos publicado a informação de que uma grande equipe de desenvolvedores foi recrutada por Zuckerberg para desenvolver tecnologia blockchain, porém, o que surgiu além disso não passava de boato, até o pronunciamento oficial.

De acordo com a rede social: “A verdadeira missão da criptomoeda Libra é permitir uma junção econômica global, simples e com infra-estrutura financeira que capacite bilhões de pessoas.”

Sendo assim, por definição, a Libra será de fato uma concorrente às outras criptomoedas, principalmente ao bitcoin.

Criptomoeda, blockchain e carteira criptografada, o pacote do Facebook.

No mesmo anuncio em que a nova criptomoeda foi divulgada, o Facebook aproveitou para afirmar que a partir de agora sua presença no mundo cripto será completa.

A empresa revelou a criação de uma carteira criptográfica chamada Calibra, que funcionará como um aplicativo independente, porém conectado através de botões de acesso no Messenger do próprio Facebook e também no Whatsapp.

Esse aplicativo servirá para impulsionar as transferências entre pessoas e, em algum momento os pagamentos para redes em varejo, incluindo compras diretas através do Instagram.

Os desenvolvedores alegam que a criptomoeda Libra e sua carteira Calibra foram construídas sob uma blockchain de alta performance, segura, escalável e confiável, assegurada por um fundo de reserva de ativos reais.

O ecossistema da criptomoeda será monitorado e administrado por uma associação entre corporações, em uma espécie de consórcio que conta com nomes como Visa, Mastercard, Mercado Pago, Paypal, Spotify e Uber.

“Enviar dinheiro deve ser tão fácil quanto enviar fotos” – Zuckerberg.

Alegando um sistema seguro que efetua transações por valores considerados insignificantes, as novas ferramentas disponibilizadas pelo Facebook foram desenvolvidas com foco em três principais aspectos.

  • Enviar pagamentos peer-to-peer entre amigos.
  • Enviar pagamentos de remessas internacionais para membros da família.
  • Fazer pagamentos a comerciantes de varejo (online e offline).

Para manter uma estabilidade econômica e manter a Libra uma criptomoeda viável, haverá um fundo monetário de 1 bilhão de dólares, em moeda e títulos internacionais.

Para Zuckerberg essa é uma das medidas mais importantes, já que segundo ele, o maior problema dos ativos digitais atualmente é a sua alta volatilidade, que prejudica o mercado e denigre a imagem da tecnologia blockchain.

No momento ainda existem diversos rumores sobre a moeda criptografada criada pela equipe do Facebook, um dos assuntos pertinentes é a possibilidade de que o Facebook pague juros aos usuários da Libra, o que pode acelerar o processo de adaptação do mercado consumidor.

Outro fator importante é o de que cada associado ao grupo de empresas investidoras da Libra, deverá fazer um aporte de 10 milhões de dólares para ter acesso à administração de um nó na blockchain. Ou seja, a ferramenta não será 100% descentralizada no início, mas definitivamente não será controlada pelo Facebook.

Fonte:
CCN

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.

Leia Também