Como exchange perdeu mais de 1 Bilhão de Reais em Criptomoedas!

No início deste ano, a Coincheck entrou para a história… porém de uma forma ruim!

Uma das maiores exchanges de todo o Japão, a empresa usufruía de alta avaliação. Portanto foi um choque para os investidores quando souberam que 1,7 Bilhão de Reais em Criptomoedas foram roubados direto do seu sistema!

Imagem de divulgação da “Coincheck”
Coincheck: exchange perdeu criptomoedas avaliadas em mais de R$ 1 Bilhão!

O valor, equivalente à 532 milhões de dólares, foi tomado diretamente do sistema da corretora em janeiro. A moeda virtual retirada foi a NEM, mas não teve seus valores alterados pelo fato. Porém, a perplexidade do acontecimento se deve pelo Japão ser uma referência quanto à regulamentação de criptomoedas.

Este entrou para a história do mercado como um dos maiores roubos de moedas digitais já registrados. Aliás, superou a crise de Mt. Gox em 2014.

Entretanto, 5 meses após o ocorrido, a Coincheck procura se reerguer e compensar seus clientes, restituindo o valor, mas não foi o suficiente para superar o fato. O próprio líder de operações e presidente da empresa reconhece o problema que manchou a reputação da exchange.

O dano pelas transições ilícitas envolvendo tokens da NEM representou um verdadeiro embaraço na trajetória da empresa. Aliás, até hoje (22/06) os clientes encontram um pedido de desculpas no site oficial da exchange.

A nota online (original em inglês) informa o seguinte:

We would like to offer our sincerest apologies to our customers, other exchanges, and everyone else affected by the illicit transfer of NEM which occurred on our platform.

We vow to take action on all of the points listed in the business improvement order handed down from the Financial Services Agency as we work towards resuming normal business operations.

Currently, we have suspended various features on our platform including new registrations.
Thank you for your patience and understanding.

Em tradução livre para o português:

Gostaríamos de pedir as nossas mais sinceras desculpas aos clientes, outras exchanges, e qualquer um que tenha sido afetado pela transferência ilícita de NEM ocorrida em nossa plataforma.

Tomaremos as medidas necessárias em todos os pontos presentes na ordem de melhoria de negócios preferidos pela Agência de Serviços Financeiros, enquanto trabalhamos para retomar as operações comerciais normais.

Atualmente, suspendemos vários recursos em nossa plataforma, no entanto novos registros também não podem ser realizados.
Agradecemos pela paciência e compreensão.

Prenúncios de um roubo:

Contudo, o roubo foi previsto por alguns usuários. O primeiro prenúncio foi dado quando a maior parte dos serviços da Coincheck ficaram inativos, portanto limitações foram impostas sobre depósitos, transações e saques de XEM (token ligado ao blockchain NEM).

Imagem via Portal Internacional “RT”

Cerca de uma hora depois, outros serviços precisaram ser congelados. Mas de forma acelerada, suspendendo a retirada e negociação de várias criptomoedas, exceto o bitcoin.

O triste evento serviu para os usuários tomarem conhecimento de que a Coincheck não estava registrada na Agência de Serviços Financeiros japonesa.

Embora tenha sofrido, a corretora é uma das maiores e mais conceituadas plataformas do país. Portanto seus clientes aguardam sua recuperação o quanto antes, porque parecem ter aprendido com a queda e investido para aprimorar os sistemas de defesa.

FONTES:
Fonte 1
Fonte 2
Fonte 3
Fonte 4

Gabriel Claudino

Gabriel Claudino Autor

Gabriel Claudino tem 23 anos, é ator e cursa Letras na USP (Universidade de São Paulo). Atua como criador de conteúdo no Portal do Blockchain.

Comentários