Estudo traça o perfil do investidor de criptomoedas brasileiro

O estudo

Dois alunos do curso de Administração da Fundação Getúlio Vargas tiveram o perfil do investidor de criptomoedas brasileiro como tema do seu TCC. Para realizar o estudo foram analisadas 428 respostas ao questionário desenvolvido pelos pesquisadores. O estudo, chamado “O Perfil do Investidor de Criptomoedas no Brasil“, teve o objetivo de responder a duas perguntas:

“1 – Qual é o perfil do investidor brasileiro de criptomoedas?

2 – Qual é o potencial do não investidor de criptomoedas se tornar um investidor?”

Os pesquisadores deixaram claro que sua motivação para o desenvolvimento do trabalho foi a falta de estudos do tipo. Eles procuraram meios para descobrir as motivações dos investidores, o nível de conhecimento de termos do mercado de ações e, além disso, o que faz algumas pessoas não investirem.

O investidor brasileiro

Com relação ao sexo:

Homens – 92%

Mulheres – 8%

Com relação à faixa etária:

20 a 25 anos – 36,9%

26 a 30 anos – 20,3%

31 a 40 anos – 20,7%

41 a 50 anos – 7,9%

Acima de 50 – 2,1%

Com relação à Renda Mensal Individual:

Abaixo de R$ 2.500 – 40,2%

Entre R$ 2.501 e  R$ 5.000 – 29,5%

Entre R$ 5.001 e  R$ 10.000 – 17%

Entre R$ 10.001 e  R$ 15.000 – 6,2%

Entre R$ 15.000 e  R$ 50.000 – 5%

Acima de R$ 50.001 – 2,1%

Com relação ao grau de escolaridade:

Ensino Médio – 17%

Ensino Superior – 60,2%

Pós Graduação – 14,1%

Mestrado – 6,2%

Doutorado – 2,5%

Resumo das informações e outros dados:

O perfil que melhor representa o investidor brasileiro de criptomoedas é o homem, jovem, com ensino superior e renda mensal de até R$ 2,500. Além disso, a maioria deles fez a primeira compra de moedas digitais no segundo semestre de 2017.

Como era de se esperar, a maioria dos investidores (86%) afirmaram preferir o bitcoin. Entretanto, essa não é a única criptomoeda a agradar: Ether e Litecoin também foram citadas.

Um fator que se mostrou muito equilibrado foi a adesão de outros investimentos. 54,8% dos entrevistados possuíam, além dos investimentos em criptomoedas, investimentos tradicionais.

A maioria dos investidores respondeu que seu interesse em criptomoedas é motivado pela possibilidade de lucros a longo prazo. Além disso, eles demonstraram curiosidade pelo assunto e afirmaram que queriam uma alternativa aos sistemas financeiros tradicionais.

Os pesquisadores perguntaram aos entrevistados uma série de termos referentes a criptomoedas, como blockchain, mineração e hash. A maioria dos investidores demonstraram saber o que esses termos significavam, ou seja, grande parte dos entrevistados estudo antes de investir.

 

 

 

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.
Thais

Thais Autor

Thaís Dias do Carmo tem 24 anos, é formada em Letras português/italiano pela USP e também é atriz. Na Influu atua na área de conteúdo.

Comentários