Sistema financeiro descentralizado pode mudar tudo

Entre diferentes realizações e desenvolvimentos dentro do Blockchain, o mais interessante é o do sistema financeiro descentralizado. Com ele, os usuários vão poder acessar serviços resistentes à censura enquanto mantém seus dados e seus valores. E tudo será aberto, sem permissão de uma central.

A essência transparente do Blockchain está mantida e sem precedentes nos acordos financeiros. Todos serão arbitrados por contratos inteligentes que serão executados normalmente, sem o risco de variedades, existente nas transações integrais. Haverá também a redução dos custos associados para criação de novos serviços.

E promete revolucionar o mercado financeiro.

O sistema financeiro atual 

Investidores sabem o quão cruciais para a economia são os serviços financeiros. Além de permitirem troca de valor e armazenamento, há os cartões e aplicações que possibilitam usar nosso dinheiro, seja gastando ou economizando. Essas e outras funções são a essência de termos funções econômicas, algo muito valioso para o mercado.

Mas, mesmo com as facilitações e todo o valor total do mercado, o setor de serviços financeiros ainda é cheio de problemas. E muitos decorrentes deles serem controlados e fornecidos por uma parte central. Ou seja, são centralizados.

No sistema atual, uma única entidade consegue escolher até que ponto ela fornecerá esses serviços e para quem. Isso não está ligado apenas a qualidade degradada do serviço, mas sim a uma influência desproporcional sobre quem pode ter o direito de usar essas ferramentas básicas.

Will Warren, fundador do 0xProject, alegou que o sistema de hoje é igual a uma loteria geográfica. No caso, você tem a sorte de nascer em um país desenvolvimento ou em um lugar que não é.

Os serviços financeiros centralizados de hoje apresentam quatro armadilhas no mercado: Acesso desigual, censura, risco de contrapartida e falta de transparência.

Em vários lugares do mundo, como África e Oriente Médio, milhares de cidadãos não possuem conta bancária. Isso porque não compensa ao banco pelo baixo nível de renda, pouco conhecimento financeiro e um pequeno mercado geral. Essas características levam o mercado a ter altas taxas e um sistema burocrático não funcional.

O resultado é a estagnação no desenvolvimento econômico.

Além da censura, o sistema é opaco. Grande instituições mascaram ofertas aos consumidores e muitas vezes se envolvem em negócios duvidosos às custas do cidadão.

A chegada do Bitcoin

Com toda a bagunça do mercado, a chegada da criptomoeda permitiu seus usuários se tornarem auto-soberanos. Até sua criação, não havia opções de custódia total dos fundos. Todo o valor era armazenado digitalmente e representada por uma entrada em um banco de dados. Ou por meio de instrumento físico.

O Bitcoin também deu a capacidade de validação de transações sem uma parte central.

Junto com essa criptomoeda, vieram as plataformas. Como a do Ethereum, por exemplo, que aplicou princípios semelhantes à computação. Isso permitiu que qualquer um executasse um aplicativo sem medo de censura. Desenvolvedores o utilizam para criação de contratos inteligentes e códigos auto-executáveis.

A plataforma conta com uma rede descentralizada de mineradores e os contratos, além de serem realizados sem um terceiro, são úteis para tornar os acordos financeiros programáveis. Funções como financiamento de risco, empréstimos e compras de seguros podem ser executados através dos contratos.

Enfim, o sistema financeiro descentralizado 

Com o estabelecimento das criptomoedas, ficou claro que o setor financeiro sofreria mudanças significativas. Mas, desde tempos atrás, o maior obstáculo da digitalização é a confiança nos ambientes digitais.

As novas redes com sistema financeiro descentralizado representam uma transformação. Mas é necessário esclarecer que esse novo sistema não é para todos. O principal é que sua existência fornece a opção de participar de um sistema que mantém um nível de segurança financeira, sem depender de uma parte central. Contudo, o valor ainda é alto.

Ainda assim, há cinco pontos que comprovam a superioridade do sistema financeiro descentralizado baseado em Blockchain:

  1. Permissão: qualquer um é capaz de acessar redes financeira descentralizadas com internet. E nenhum indivíduo pode ser negado.
  2. Censura resistente: nenhuma parte é capaz de reverter a ordem das transações ou desativar o serviço.
  3. Confiável: usuários não precisam de uma parte central para garantir validações.
  4. Transparência: Blockchains públicos são transparentes e auditáveis, todos os aspectos de uma troca financeira são disponibilizados.
  5. Programável: desenvolvedores podem criar e interligar serviços financeiros com baixo custo.

Algumas infraestruturas ainda seguem em desenvolvimento. O primeiro passo é criar protocolos para alimentar o sistema. O plano, no caso, passa a ser construir todo o sistema desde o começo, mas em características descentralizadas.

Futuramente, usuários poderão emitir qualquer valor como um ativo simbólico, que pode ser comprado e vendido de forma livre. Este valor será ligado a um ativo físico. Então, os usuários poderão vender de forma transparente e se proteger contra qualquer mudança de preços.

Com a descentralização, a relação custo e eficácia permitirá alcançar um nível de granularidade financeira nunca antes vista. E vários primitivos financeiros poderão melhorar ainda mais os recursos do sistema financeiro descentralizado. Mas isso trataremos em outro texto.

Leia também: Blockchain para acabar com a fome no mundo!

FONTE

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.

Comentários