O dilema de caos e ordem da criptografia

A criptografia já está acontecendo. E de uma maneira rápida e tão grandiosa que fica difícil acompanhar. Nisso, o mercado entra no dilema de caos e ordem.

É preciso considerar duas tendências principais. Blockchain como uma tecnologia e criptografia como uma força perturbadora. Isso desestabiliza e perturba os atores financeiros e estatais de todo o mundo. Já o Blockchain como tecnologia é em grande parte, benigna e focada na comunidade e no consumidor.

Criptografia como uma força disruptiva está emergindo como uma antiga narrativa da era digital. Ou seja:

caos não regulamentado X ordem transparente

=

autonomia baseada na comunidade, privacidade e anonimato X transparência, conformidade e ordem imponente.

Essa narrativa, no caso, acontece nos Estados Unidos desde 1800. Já houve direitos dos estados contra o governo federal. Individuo autônomo e privado contra restrições do governo. E cooperação global e conformidade financeira contra autonomia estatal e individual.

Caos e Ordem 

A comunidade global é a principal protagonista em criptografia. As comunidades estão criando os traços mais desejáveis de criptografia e fazendo declarações ousadas sobre como o dinheiro deve ser criado, trocado e anonimidade.

Pela primeira vez na história, estamos vendo a possibilidade de liberdade financeira que não está alinhada com os interesses dos sub-estados, governos e cooperativas globais. E essa será a narrativa de caos e ordem dos próximos dez anos.

Avançando, aparentemente, os governos só controlam uma parte crucial de toda a narrativa: o acesso à internet. Em países como a China, Coréia do Norte e Arábia Saudita, isso aparenta ser simples. Já em países como Inglaterra, Estados Unidos e Austrália, o acesso parece ter se tornado um direito humano fundamental.

Regulação x Inovação 

Na Conferência Norte-Americana de Bitcoin – realizada em Miami – no painel sobre regulamentação foi questionado sobre a necessidade de ser compatível em todo o mundo quando se trata de transferir dinheiro criptografado.

A implicação era que os atores estatais demoram a agir e estão muito atrás da curva. Um dos advogados, presente no palco, disse que a punição por fraudes financeiras em vários países “é a morte”. Um dos dramas mais fascinantes dos próximos dez anos será observar a comunidade de criptomoedas inovar em direção para maior autonomia e anonimato.

Isso enquanto os atores industriais e estatais centralizados lutam para exercer seu controle e regulamentação sobre os sistemas descentralizados de caos e ordem. No caso, o Blockchain do Bitcoin é apenas um teste. Bitcoin e Altcoins são pesquisas de educação empírica, ensinando à comunidade do futuro como criar soluções favoráveis à criptografia.

Dinheiro 

Nessa situação, duas coisas são claras. A primeira é que a narrativa primária do Blockchain é toda sobre inovação distribuída. E a segunda é que a narrativa primordial de criptomoeda é toda sobre dinheiro.

O dilema da criptomoeda, então, acaba gerando questões fundamentais. Como quem tem o direito de saber sobre nossa produtividade pessoal e especulação. Deveríamos ter o direito de nos auto-organizar e selecionar nossos sistemas de troca financeira? Entre outras.

A criptografia tem implicações sócio-políticas além da imaginação. Avançando, precisaremos prestar muita atenção no futuro do dinheiro. Enquanto o Blockchain dará início a novas inovações distribuídas, a narrativa de caos e ordem nos forçará a desconstruir o significado da influência social e governamental em um novo mundo digital.

FONTE

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.

Comentários