Criptomoedas Sul-Africanas mantêm nação em rumo!

Criptomoedas Sul-Africanas: você sabia que a indústria de criptomoedas na África do Sul é uma das coisas que está ajudando a nação a avançar?

Este mercado está crescendo atualmente e, portanto, veremos por quê o país africano pode criar alguns “terremotos” no setor!

Algumas das principais exchanges ou empreendedores de moedas digitais estão fazendo filas para oferecer seus serviços em todo o território. Desde os principais gestores de dinheiro e ativos até as corretoras internacionais de criptomoedas.

O interesse no setor de criptomoedas na África do Sul não é apenas “uma coisa passageira”, pois os usuários interessados ​​em tecnologia planejando investir a longo prazo.

Após a verificação de uma grande queda nos preços das fundamentais moedas virtuais das bolsas do mundo todo no último mês de junho, muitos usuários se voltaram para “áreas inusitadas”. Uma delas é a nação africana.

Embora a queda de preços possa parecer desvantajosa para alguns, vale apontar que diversas startups e empresas sul-africanas começaram a ampliar seus negócios.

Movimentação das criptomoedas sul-africanas: a reação da indústria

Não somente empresas locais buscam aproveitar a crescente indústria de criptomoedas sul-africanas, mas também as principais organizações internacionais que desejam construir projetos de alcances globais. Isso é particularmente motivado por uma parcela do povo sul-africano que querem comprar criptomoedas. Esse comportamento virou tendência na região e, logo, a reação da indústria foi expandir o alcance desses ativos.

A rede de criptomoedas Luno já opera em 40 países, incluindo também a África do Sul. Ela é um exemplo das entidades que procuram, na nação, investidores fieis. Nesse intercâmbio, os sul-africanos podem comprar tanto o Bitcoin quanto o Ethereum por meio de um processo de FICA.

O setor de moedas digitais da África do Sul está ganhando vida com outras bolsas em andamento durante o terceiro trimestre de 2018.

A SygniaCoin, por exemplo, é uma nova plataforma de câmbio, administrada e fundada pela CEO Magda Wierzycka. Seu novo e empolgante intercâmbio dará aos usuários locais a opção de comprar cripto-ativos, utilizando como base as regras e regulamentos das exchanges de Nova York (EUA).

FONTE

Lucas

Lucas Autor

Estudante de Letras (Português - Alemão) da Universidade de São Paulo. Diz que entende de cinema e espera escrever um livro, mas só espera mesmo.

Comentários