Criptomoedas podem ser produzidas para sempre?

Depois que uma das criptomoedas é emitida, gerar uma nova apresenta sempre traz algum desafio maior. Mas elas podem ser produzidas para sempre?

Resposta: depende. Pois, quando o assunto “moedas digitais” é abordado, o bitcoin se torna a maior referência. Delas, ele é o que traz mais desafios para emissão e, de fato, é limitado.

O bitcoin tem “limite de vida” para ser gerado. Desde sua criação, ficou estabelecido que só existirão em circulação 21 milhões de unidades.

Imagem via Pixabay
Mas como funciona essa limitação?

O algoritmo responsável pela emissão dos bitcoins estabelece o máximo de 21 milhões criadas. Como ela não é gerada por um banco, mas sim por mineração, um software é responsável por sua liberação.

Logo, em um tempo determinado, uma quantidade limitada de moedas são distribuídas aos usuários que solucionarem as operações matemáticas criptografadas do sistema.

Antes de 2012, era concedida a quantia 50 bitcoins a cada intervalo de tempo (10 minutos). A partir daquele ano, a porção distribuída começou a ser reduzida pela metade toda vez que se passasse 4 anos. Em matéria de curiosidade, hoje é liberado 12,5 bitcoins.

Como a cada emissão as contas exigem mais tempo e energia de processadores para serem solucionadas, o número de bitcoin em circulação tende a aumentar lentamente. É esperado que a última leva da moeda seja gerada no ano de 2140.

Created by Markyzz – Freepik.com
Isso não é ruim para sua circulação?

Pelo contrário! Esta tática coloca a inflação dos bitcoins em posição controlada, porque existe um prazo máximo de quantas unidades podem ser criadas.

Diferente do dinheiro físico, como dólar ou real, a medida evita um crescimento descomedido dos preços da criptomoeda.

Mas, o que podemos esperar do futuro?

Por ser uma área ainda em constante amadurecimento, é esperado que outras moedas encontrem espaço para se beneficiar da limitação proposta pelo bitcoin.

Já falamos neste portal sobre o que é reservado para o futuro das criptomoedas, de forma mais abrangente. Entretanto, as consequências vindas desta nova maneira de se fazer negócios poderão ser observadas quando ficar cada vez mais raro emitir um bitcoin.

FONTES:
123

Gabriel Claudino

Gabriel Claudino Autor

Gabriel Claudino tem 23 anos, é ator e cursa Letras na USP (Universidade de São Paulo). Atua como criador de conteúdo no Portal do Blockchain.

Comentários