Criptomoedas possuem lastro?

O que é lastro?

No mercado financeiro, o lastro é uma garantia. Em uma época na qual os papéis eram simples representações, o ouro era a verdadeira riqueza.

Como ouro é algo pesado e difícil de carregar, chegou-se à conclusão de que seria mais fácil as pessoas portarem papéis e deixar o ouro nos bancos.

Além disso, percebeu-se também que era necessário controlar a produção de papéis moeda no Banco Central, evitando que eles fossem inflacionados. O Banco jamais poderia produzir mais moedas do que o valor contido em ouro, uma vez que o papel não tinha valor algum.

Hoje em dia o lastro não é mais praticado.

Atualmente, o que garante o valor de uma moeda?

Nenhuma das moedas oficiais modernas têm o valor definido por meio do lastro. Taxa de juros (SELIC), emissão e retirada de moedas de circulação são as formas que os governos usam para controlar o valor do dinheiro do país.

Além disso, o fator confiança também é necessário já que não existe nenhuma garantia semelhante ao ouro para comprovar o que está sendo negociado.

Uma das grandes diferenças entre o que era feito com o lastro de ouro e as leis governamentais atuais é o fato de que, hoje, essas regras têm a função de exigir uma demanda financeira mínima. Ou seja, elas são as responsáveis por obrigar os cidadãos a usar a moeda produzida pelo Banco Central do país.

Sendo assim, essas leis protegem mais quem emite o dinheiro do que o usuário. O lastro de ouro era uma garantia para o usuário, provando que ele possuía bens no banco e de que esses bens tinham valor.

Como funciona com as moedas digitais?

Assim como as moedas “reais”, as moedas virtuais não possuem um lastro em ouro. Entretanto, considerando o significado e a função dessa garantia, podemos dizer que as criptomoedas são as que mais se assemelham ao lastro.

Como já foi explicado acima, o lastro era uma forma de controlar a produção de papel moeda pelo Banco Central. Ou seja, o ouro era a garantia do papel. Mas qual era a garantia do ouro?

O ouro é um elemento químico, formado pela natureza e, como tal, não pode ser criado em excesso. Dessa forma, não é preciso uma garantia para o ouro, já que não se pode inflacioná-lo.

Da mesma forma, a produção de moedas digitais se dá por meio de mineração que, por sua vez, é feita por meio de cálculos matemáticos avançados. Assim, elas não são eternas, também existe um limite de produção e é isso que garante a seguridade.

Falando de forma mais simples: as próprias regras das moedas virtuais garantem que elas não podem ser inflacionadas.

Em resumo pode-se dizer que as moedas digitais – assim como todas as outras moedas oficiais – não possui lastro. Entretanto, suas características de mineração impedem o crescimento inflacionário, o que as torna mais seguras com relação à possibilidade de produção exagerada.

Fontes 1 e 2

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.
Thais

Thais Autor

Thaís Dias do Carmo tem 24 anos, é formada em Letras português/italiano pela USP e também é atriz. Na Influu atua na área de conteúdo.

Comentários