blockchain antes do bitcoin

“Blockchain antes do Bitcoin” segundo presidente da China

O presidente da China, Xi Jinping, levou a política interna orientada pelo Blockchain a outro nível: o líder do país mencionou o sistema como “uma parte da revolução tecnológica”. Reiterando, assim, a máxima já comentada anteriormente quando destacou a tecnologia e repreendeu a criptomoeda: “blockchain antes do bitcoin”!

Nos últimos dias, o banco central chinês desenvolveu um sistema para emitir cheques baseados em blockchain em vez dos de papel. Mostrando que, além de elogios à rede, há ações em andamento. Contudo, esta adoção da China à cadeia de blocos virtuais pode se ligar à regulamentação severa de criptomoedas no país.

Mercado forte, mas conturbado

A China é um participante importante no mercado de Bitcoins, hospedando uma fatia substancial das mineradoras e o loume dos negócios – 50 a 70% da  mineração mundial da criptomoeda em 2017 ocorreram só no país. Embora ambos os fatores tenham sido mais impressionante antes de uma onda de supressão regulamentar, o comércio das moedas virtuais sofre repressão pelo governo chinês.

Além de ter restringido a operação das bolsas locais e da OIC no ano passado, as pessoas na China podem ter bitcoins, mas não têm permissão para trocá-las legalmente em exchanges.

Além disso, o notório setor de mineração da China também foi atingido por órgãos reguladores, forçando os mineradores locais a se mudarem. Portanto, a fabricante chinesa de chips ASIC, Bitmain, a mineradora mais lucrativa do mundo, decidiu usar a inteligência artificial como fonte alternativa de receita.

As tendências repressivas do Estado foram certamente notadas pelo mercado global: por exemplo, em janeiro, quando a China introduziu outra ofensiva contra as criptomoedas, o Bitcoin (BTC) caiu rapidamente para seu nível mais baixo em apenas um mês. Parelho, a Ethereum (ETH) apresentou um declínio de 19% e Ripple (XRP) colapsou em 29%.

Breve histórico do relacionamento da China com criptocorrências e OICs

A China parece bastante cética quanto ao uso desta nova espécie de dinheiro. O começo de seu relacionamento complexo com Bitcoin pode ser rastreado até 2013, quando o Banco do Povo da China (PBoC) notou que a moeda estava ganhando popularidade no país.

Em dezembro daquele ano, o órgão de fiscalização, juntamente com outros cinco, emitiu um comunicado apelidado de “Aviso sobre prevenção de risco financeiro de Bitcoin”. Ali foram apontados diversos fatores para alertar os investidores: baixa segurança devido à falta de uma entidade centralizada moeda.

Assim, todos os bancos e organizações financeiras foram proibidos de realizar quaisquer operações relacionadas à criptografia, e todas as empresas que oferecem serviços envolvendo a Bitcoin foram obrigadas a registrarem-se junto às autoridades competentes e a seguir procedimentos de know-how-customer (KYC) para evitar lavagem de dinheiro, evasão fiscal, etc.

Portanto, a moeda pode ser negociada em sua forma original, mas não pode ser trocado por moeda fiduciária, nem pode servir como meio de pagamento.

FONTE

Receba novidades sobre Blockchain no Seu Email
Join over 3.000 visitors who are receiving our newsletter and learn how to optimize your blog for search engines, find free traffic, and monetize your website.
We hate spam. Your email address will not be sold or shared with anyone else.
Beatriz Flor

Beatriz Flor Autor

Comentários