Nome “Bitcoin” é patenteado por empresa britânica!

Recentemente, um caso envolvendo o uso do termo “bitcoin” abalou fóruns na internet. Tudo porque uma empresa do Reino Unido aparentemente patenteou a palavra e está restringindo seu uso.

Segundo a matéria reveladora da CCN, representantes da companhia britânica A.B.C. IPHoldings South West LLC alegam que registraram e são donos da palavra. Além disso, a empresa está processando uma pequena loja por vender camisetas tematizadas com a moeda digital!

Imagem via Pixabay

Um usuário do fórum internacional Reddit informou que é dono da tal loja e, de fato, recebeu uma intimação judicial. De acordo com seu relato, a empresa está processando por comercializar roupas contendo o termo “bitcoin” estampado nelas.

Para o empresário ameaçado, a palavra era de domínio público, por esta razão não via problema em vender as mercadorias. Mas ao receber a carta alegando que seria processado, percebeu que estava em uma encruzilhada.

Segundo sua postagem no fórum, solicitaram todos os produtos que continham a marca, informando que deveriam ser entregues ao proprietário da marca registrada o quanto antes.

O que deixou diversos internautas desconfiados foi o fato do termo pertencer a uma empresa. Na história de sua criação, o bitcoin já havia sido registrado como marca – tendo em conta o White Paper feito pelo seu criador anônimo, Satoshi Nakamoto.

Entretanto, não havia sido relatado qualquer tipo de processo ou ação judicial quanto ao uso do nome até este caso mais recente, envolvendo as camisetas.

Informações a respeito desta empresa:

Sabe-se que a A.B.C. IPHoldings South West LLC fez a solicitação da patente no fim de 2017. Ela conseguiu aprovação no mês de abril deste ano. Contudo, não se sabe como obteve o registro de uma palavra tão comumente usada.

Os registros online da empresa a colocam como uma subsidiária da Monopolip Ltd, criada em dezembro de 2017. O acionista Kjell Halvor Landsverk e a Venusian Dawn UK Limited constam nos documentos como nomes ligados à entidade.

Com exceção à gestão financeira, é creditado na documentação que a companhia britânica trabalha com consultoria administrativa. Fora o fato de atuar com leasing de propriedades intelectuais.

Todavia, com este episódio pode-se inferir que a real intenção desta empresa é reprimir a utilização da marca. A coibição do nome “bitcoin” traz refreamento e intimidação. A partir de agora, diversas empresas ligadas ao universo das criptomoedas estão sob uma ameaça, pois a qualquer momento podem receber intimações pela utilização “irregular” da marca bitcoin.

FONTE

Gabriel Claudino

Gabriel Claudino Autor

Gabriel Claudino tem 23 anos, é ator e cursa Letras na USP (Universidade de São Paulo). Atua como criador de conteúdo no Portal do Blockchain.

Comentários